sábado, 27 de setembro de 2008

TODOS OS DIAS...

Todos os dias ele fazia a mesma coisa...mecanicamente, acordava e depois da higiene matinal, shorts, meia e ténis uma camiseta leve e lá vai ele, caminhando pelas calçadas da Aclimação, rumo ao parque com mesmo nome...Lá chegando um básico alongamento e corria por cerca de duas horas no entorno da lagoa, depois pista com estações e caminhava novamente, retornando ao apartamento, o retorno era diferente, para pegar uma rua cujo final, era formado por uma escadaria sua parte final dos exercícios. Já não era tão jovem, corpo forte, boa musculatura, uma pequena "mas insinuante" barriguinha, incomodava nosso personagem, usa barba, porém perde tempo com ela, mais do que com os cabelos, esses já querendo acinzentar e ficando na testa ralos...Uma de suas manias, era, na volta parar em um barzinho(desses com mesas na calçada), e tomar um capuchino...Foi numa desses paradas, que ele há viu! Loira, mais ou menos 1,70 de altura, seios muito bem feitos, cintura incrivelmente fina e nádegas maravilhosas, tipo mulherão, cabelos compridos ao vento uma bermuda super justa revelando suas curvas pele aveludada. Passou olhou de relance para ele e seguiu...Ele ficou observando o caminhar de gata (pisando macio), e pensando tratar-se de uma mulher para dar uma atenção.
Os dias foram passando e repetidamente as mesmas coisas...Naquela manhã porém, algo estava diferente, talvez por ser inicio de outono, o dia apresentava-se de uma cor especial e o sol aquecia, mas um vento fino lambia as pernas lembrando a meia estação ele está a uns 600 metros do parque e ouve uma voz linda as suas costas - O que será que tem no dia de hoje, que noto diferença? Ele vira a cabeça e já pondo-se ao seu lado, ela! Aquela Deusa em forma de mulher. - Provavelmente, encantado com sua beleza, que hoje em especial está radiante! (Não queria ter dito isso, saiu meio que..."falta do que falar"), mas besteira já disse, vai rapaz continua! Correram, caminharam, conversaram riram e na volta capuchino, ela inteligente, bem articulada, formada em publicidade na ECA/USP, em comum já tinha a mesma escola e profissão. Ele paga a despesa e levantam-se, e, caminhando ele segue para seu apartamento, nota que na esquina da rua do escadão ela não segue, ao contrario entra com ele na mesma rua e seguem...Um sábado tipicamente paulistano e da Aclimação, pessoas conversando, lavando seus autos e calçadas, guris jogando bola e mulheres limpando sua casas...Eles continuam caminhando , sobem à escadaria e já na Rua José Getúlio seguem a esquerda na direção da Av. do mesmo nome, ele começa a ficar agitado, pois um pensamento risca sua mente...Será?
Quando ele chega a frente de seu prédio diz - Eu moro aqui, ao que ela responde - Eu sei! - Você está me convidando? Pergunta ela! - Ora, seria um prazer inenarrável! " Puts você hoje tá verborrático" ... Já em seu apto, ela comenta o bom gosto na decoração "estilo clássico clean", tipo executivo...E pergunta se poderia tomar um banho? Evidentemente, e arriscaria dizer, que poderíamos tomar banho? Aquilo saiu ousado demais?! Demorou respondeu a Deusa...Olho no olho corpos próximos, um abraço, um longo beijo com línguas roçando o céu da boca, o suor dos corpos, a temperatura subindo, o banheiro em seu requinte de mármore e metais nobres, virou cenário de duas pessoas loucas de desejo. Dali para o quarto e foram horas e horas de entrega, sedução e descobertas... Depois veio um frugal almoço e ela foi embora, alegre, saciada e feliz daquela manhã de sábado...Quando ela estava passando pela recepção o interfone toca e o porteiro chama - Moça! - Sim ela responde, - ele quer falar com você. Rindo ela atende é diz - Já sei, pensei nisso agora também o meu é "fulana" e o o seu? Beltrano responde ele! E foi só isso terminou.

18 comentários:

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi Betho.

Nossa! Mais um encontro picante e cheio de desejo. Garanto que depois daquele dia a "corrida" matinal nunca mais foi a mesma!! :-)

Bom final de semana!

Beijos mil! :-)

anderson eduardo disse...

beleza de historia meu caro... muito bom seu blog...voltarei,,, abração e bom final de semana

paula barros disse...

Muitas histórias...muitas mulheres...muito tudo...

abraços muitos

Grace Olsson disse...

Betho, querido,
O outono é uma estação divina. creio que a mais bonita
Beijos e dias felizes

loba disse...

Acredita que fiquei aqui imaginando o dia seguinte? rs...
Histórias assim não podem durar uma única vez. Tem que se explorar mais e mais, né? rs
Adorei BT.
Beijo de domingo.

Príncipe Tito disse...

Bom domingão...Abraços!!!

Ana Luiza F. disse...

Adorei o espaço novo. E a história... bem... bom... pra ser sincera, imaginei outro final. Eu e essa minha visão romântica! Porém, Fulana e Beltrano até que soam cor-de-rosa, também. Amei ver o link do Bar...! Thank's. Beijão.

Jeanne disse...

Legal, Betho, o final foi meio surpreendente, mas não duvido nada que possa acontecer desta maneira,rsrsrs...
Estou adorando o visual novo do blog, ficou mais limpo.
também troquei por fundo branco, é muito melhor.
beijos

Mariana disse...

Um beijo e boa semana.

Bandys disse...

Ahhh Betho,
meu coração fica caladinho, so ouve, kkkk
beijos

Putzz, nunca tinha colocado gesso...um horror!!

Beti Timm disse...

Betho,
os relacionamentos sempre deviam iniciar desse jeito especial. As vezes duram mais. Eu tenho a opinião, que a melhor parte de um relacionamento, é o início. A paixão despontando, o jogo atraente. Atração que nos faz querer mais. Tudo isso é o melhor da festa!Beijos festeiros

Lino disse...

Só na loucura desse mundo pós-moderno é que alguém se relaciona primeiro para, depois, conhecer o outro.

d*sonhos disse...

Betho, uma lado teu q não conhecia....escritor de contos ou desvendando suas próprias histórias?
bjusss

Beatriz disse...

Mais um conto onde a tua capacidade criativa nos presenteia com uma narrativa de primeira.

Fica uma estrela no teu sonhar e um beijo no coração.

Magui disse...

Fantasias fazem parte da vida!

Nanda Assis disse...

me prendi neste conto. adorei.

bjosss...

Elane e Sergio disse...

Com certeza logo logo o livro estará pronto. Como é bom registrar o cotidiano da vida. Está superlegal Betho. Olha, perdi meu blog e todo seu conteúdo, por enquanto estou no Blog da Elane. Abraço amigo.

Tereza Freire disse...

Como tudo seria tão simples se fosse assim... afinal, o que é um nome? Bastante seria a ocasião. No final uma despedida sem gostinho de "quero mais". Outros encontros viriam também sem nomes e sem compromissos. Simples sim, mas bom... já não sei. Beijos, amigo. Legal a história. Margens à imaginação.