segunda-feira, 20 de outubro de 2008

DESAMOR

Anos 80, existe um prenúncio do fim da ditadura. O povo vai as ruas em busca das "Diretas Já". Nosso herói possui um bem montado escritório de representação comercial e no momento trabalha com uma empresa norte-americana com sede em Dallas no Texas. Ele gosta de frequentar uma determinada boate em SP e também de praticar exercícios em um parque perto de sua residência. Noite de quinta feira e lá vai o empresário para mais uma noitada...Lá há sempre uma mesa reservada, que juntadas as outras, sempre sentam-se diversas mulheres(lindas), mas ele não se envolve com elas, é uma espécie de acordo tácito! Como sempre deixa o carro com o manobrista e entra na casa noturna. Cumprimenta um, outro e mais outro, é abraçado pelo proprietário da casa e conversam um pouco. Dirige-se para a mesa, que já estão três amigas, cumprimenta as meninas, conversam amenidades e chegam outras, beijos trocados e a mesa esta completa, brinca uma delas " - Só falta escolher a secretária e fazer a "ata", pois o presidente da mesa sabemos quem é! Risadas e pedidos ao garçom. A casa está animada, muita gente nova(primeira vez), com certeza a noite vai render. Chegam alguns amigos gaúchos donos de editora - Mas bah! - Tu tá de bola cheia guri! Mais risadas e são convidados para a mesa. Entre as pessoas que estão chegando na casa, ele nota uma em especial, seu rosto tem um que de conhecido...Parece uma atriz(antiga), de cinema americano. Alta, loira, falsa magra, um sorriso maravilhoso e par de seios idem, cintura fina e um derrier , que em determinada posição lembra um coração! Uma pequena marca no rosto chama atenção...Ele aproxima-se e disse...; - Oi não pude deixar de notar a sua entrada! Ela respondeu secamente; - Porque? - Fui espalhafatosa? E ele; - Não! - desculpe, foi o brilho de sua beleza que iluminou a casa! Como ela foi seca e grosseira, ele virou-se e voltou a mesa, deixando-a pensativa. Ela o seguiu com os olhos e ficou observando-o. A casa está cheia, não existem mesas vazias, passado meia hora, ela continua de olho na mesa e nele. Ele resolve então erguer a taça de vinho em direção a ela e com um movimento de cabeça, há convida para a mesa. Ela fala alguma coisa ao ouvido da amiga e caminha em direção a mesa. E antes que ela fosse malcriada novamente ele diz; "- Moça Bonita" - Não quer juntar-se a nós? - Que tal uma taça de vinho? Ela desconsertada anui com a cabeça e ele complementa; -Ei! - Convida a sua amiga ao nosso convívio. Assim feito, o que seguiu foi muita dança, bebida e conversa; ela professora, bióloga e pós graduada, leccionando em um colégio estadual e numa faculdade particular no bairro da Moóca, onde ela também residia. O que nasceu ali, difícil explicar! Os dois entenderam-se e no dia seguinte saíram juntos e no sábado foram em um casamento de funcionário dele. Ambos com temperamentos parecidos, mas com diversas arestas a serem aparadas, em termos de Zodíaco, ele toura ela virgem. Mas existia uma necessidade de liberdade, que os dois haviam conquistado, que resolveram não abrir mão. Assumiram então, uma moda da época, uma "Relação Aberta", cada um em seu canto e os encontros alternados na residência de cada um! Eles combinam que cada um poderá relacionar-se com quem quiser, sem a pecha de traidor, corno, etc...Mas esse comportamento foi aumentando a cumplicidade e tornava mais forte a fidelidade, ninguém queria ser o primeiro! Mas diga-se de passagem, que havia forte necessidade de estabilidade emocional, senão o cara pirava.
Viveram assim por quatro anos, e ao final, já passavam mais tempo juntos do que separados. Tinham pertences nos dois endereços dividiam uma serie despesas e viajavam muito, todas as oportunidades possíveis(férias, feriados, etc...), la estavam eles na estrada ou voando! O amor deles vinha em bases sido conquistadas e aprendidas, mas o destino sempre apronta... Ela ficou doente, com graves problemas gastro intestinais, e passou a ser medicada com remédios fortíssimos, para o tratamento, para a dor, etc...Sofria muito e mais remédios...(Quando ele era mais nova, sofreu um acidente automobilístico horrível, ela foi praticamente remontada em mesa hospitalar, foram diversas cirurgias, para corrigir problemas faciais, dai o resultado de semelhança com atriz americana. Dentre os problemas ocasionado pelo acidente, uma das trompas e o útero foram afetados. Um médico da época, chegou a afirmar que ela não poderia ser mãe). Fez tratamento inclusive psicológico para aguentar! Mesmo assim eles tomavam todas as precauções, para evitar uma gravidez...espermicidas, pílulas e até mesmo camisinha...Porém em uma viagem a Angra dos Reis(mesmo em tratamento eles viajaram!), festas de final de ano e no encantamento das ilhas maravilhosas e paisagens, amaram-se sem cuidados, entrega total, sexo pleno! Seis dias de amor inconsequente. No retorno a SP...E volta ao médico ele lhe receita remédios mais fortes! passados 55 dias ela vem com a noticia...- Estou gravida! Ele pensou em comemorar mas notou no semblante dela, um ar de interrogação! E perguntou: -Tudo bem? - Algum problema?
Ela permaneceu em silencio por um momento e de cabeça baixa disse: - Não quero ter essa criança! - Como? - É isso! - Não quero. - Mas por quê? - Tenho tomado uma variedade de remédios que quase acabam comigo, você me garante que esta criança nascerá sem problemas?! Daí para frente, não conseguiu demove-la da ideia, aquilo virou obsessão e o final foi um aborto, realizado em uma manhã cinza de uma quarta feira, indesejado por ele, suposta solução para ela...
Terminado os procedimentos, ele há levou para o Guarujá onde ficaram por cinco dias. Ele não saiu do lado dela, em momento algum, se já vinha acompanhando os problemas gastros de perto, agora dobrava à atenção com ela... Mas uma mudança, já vinha ocorrendo! Ela não era mais a mesma pessoa, transformará-se.. Sua cabeça não aguentou a pressão...Ela quis tirar a criança, por medo de ter uma criança com possíveis problemas, ela resolveu dar uma de Deus...Mas no fundo queria ser mãe! Ela fez jogo duro com ele, esperava que ele demovesse a ideia, mas ele cedeu a vontade dela...Bateu um sentimento de culpa e para ela só existia uma pessoa culpada de tudo...ELE! Quatro anos de amor que parecia não acabar mais...Acabou no lixo com o feto! Ele sofreu duas vezes e perdeu duas vezes...
Ela socorreu-se de psicoterapia e passado quase dois anos, procurou por ele, dizendo-se curada e querendo reatar...O que? Não existia mais nada só DESAMOR
História de ficção, baseada em fatos reais!
BETHO SIDES
Não deixem de visitar: http://nsides.blog.uol.com.br

16 comentários:

Ana Luiza disse...

Ai...ai... ficou um gosto estranho aqui. Uma sensação de "déjà vu", que apertou o peito. Mas, deixa pra lá... elogio tua brilhante maneira de colocar em palavras estas emoções todas. Parabéns meu amigo querido. E por falar em drink's novos, renovei o balcão das bebidinhas. Um beijo estalado e um abraço de quebrar costelas, gurizinho.

Glayce Santos disse...

Obrigada pela visita! Sempre bom receber visitas e comentários tão cheios de personalidade!

Beijos

Canto da Boca disse...

Beto, eu volto, juro que volto. E entao te lerei com calma. Aqui se aproxima da meia noite, estou exaurida, nao tenho mais cérebro, nao penso, horas e horas no banco da universidadesó quero um banho demorado e minha cama...

Magui disse...

Com tanta gente egoísta por aí não duvido nada...

Pedro Ivo disse...

Nossa Betho, nem vou dizer que você me fez outra surpresa. Tanto a passando quanto essa, foram novidades em seu cardápio literário. Uma fala de juventude e a outra de Desamor, sendo que essa foi baseada em um fato real. É a cada história, você esta melhor.
Agora em todas eu tirei um conclusão do seu tipo de mulher, não importa se é loira ou morena, mais deve ter cintura fina, seios fartos e um belo bumbum.

Abraços querido.

Bandys disse...

Betho,
passando pra de dar um super beijo e volto com calma pra ler.


beijos de ♥

Landinho disse...

Triste história.

Wilson Rezende disse...

Muito emocionante Betho,D+,como você escreve bem rapaz, um grande abraço.

Crys disse...

Como é ruim qdo temos de recuar diante de nossos desejos e sensações. Como é ruim, querer mudar o destino, qdo ele já está todo traçado. Ok, podemos até mudar, mas a sensação de que faltará sempre alguma coisa, certamente acontecerá.

Gostei muito do que li. Um texto bem escrito e bem estruturado.
Tomara que eu tenha mais tempo pra te ler (minha vida anda meio atrapalhada). Fui bisbilhotar alguns textos mais abaixos, e encontrei os mais belos contos e as mais divertidas histórias para somar e encantar nossas leituras nesse meio que vivemos da blogsfera.
O que me trouxe até aqui, foram tuas pegadas carinhosas deixadas no Jardim. Obrigada!
Com certeza, voltarei.
Um abraço!

Beatriz disse...

Fiquei imaginando a ansiedade dela querendo que ele insistisse para que desse continuidade à gravidez ao mesmo tempo em que lutava consigo mesma querendo dar fim ao processo, com receio de que a criança nascesse com alguma anomalia. Duas situações distintas em que sentimentos e emoções poderiam ter convergido para o mesmo centro: a preservação da vida. Só assim o amor tão bonito até então, poderia ter continuado a existir e a 'salvar' os dois, se tivessem ambos lutado pela vida que ainda estava no ventre.

Uma linda história de amor, real, como tantas outras da mesma natureza e das quais sempre temos notícia.

Fica meu beijo numa gotinha de chuva, com meu carinho. Lindos sonhos pra ti, meu querido.

LIno disse...

A ficção, às vezes, fica próxima, muito próxima da realidade. E, nela, relacionamentos se iniciam e se desfazem. E nestes casos, o desamor é uma marca.

paula barros disse...

Mais uma história bem contada. Suas história tem me mostrado que dinheiro e beleza nem sempre é tudo.

abraços

Beti Timm disse...

oi, Betho!
Só vim te dar um oi, depois volto pra comentar. tõ aqui no pc da minha amiga, Cris, a Estrela Maria e vi que comentaste no blog, dela estou te elogiando e te recomendando para ela ir te visitar.

Beijos e depois volto

loba disse...

Ah que pena ter terminado assim! Mas a arte imita a vida - e na vida os desencontros são frequentes! Infelizmente, né?
Beijo BT!

Vanderson Freizer disse...

Passando para ler os textos, que são de uma qualidade tremenda e para deixar um abraço.

Evelize disse...

Essa história me deixou triste...beijos e bom final de semana